Toma lá da cá com os direitos e o dinheiro do povo brasileiro

PDFImprimirE-mail

     -            ERICK SILVA             -
 Confira abaixo a coluna semanal, no Jornal Primeira Página desta quinta-feira (12/10), com a opinião do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos, Dirigente da FEM-CUT/SP e Mestrando  em Políticas Públicas.

Sabe que essa semana estava ouvindo uma radio de São Carlos, relatando que o deputado federal da região havia “entregado” ambulâncias ao município. O secretario de saúde estava satisfeito, o prefeito também agradeceu ao deputado e isso rendeu grande espaço na mídia.

Pois bem, tal deputado, votou pela urgência na votação da reforma trabalhista, também votou a favor da transformação do que era legislação trabalhista em código de defesa dos patrões.

oincidentemente ou não, nos meses de junho e julho desse ano o total de emendas de deputados liberados pelo governo federal passou de cerca de 50 milhões para mais de 1,5 bilhões de reais.

Fica mais fácil de ver mostrando a quantidade de zeros, em maio foi 50 000 000 e junho e julho foram mais de 1 500 000 000, ou seja, pelo menos 30 vezes mais. Coincidente ou não, a reforma passou na Câmara e no Senado nesse período.

Se eu aprendi a ligar pontos quando era criança, os direitos dos trabalhadores no Brasil foram trocados por ambulâncias e outras coisas desse tipo, como se não fosse obrigação de deputados, governo federal, estadual e municipal prover saúde, educação e demais direitos ao povo brasileiro, e como se esses direitos não fossem pagos com o recurso dos nossos impostos.

E pior, com esse tipo de deboche com cada brasileira e brasileiro, os deputados que pretendem que o futuro dos nossos filhos seja parecido com a escravidão pré 1888, esperam se reeleger usando ambulância trocadas pelos nossos direitos e pagas com nosso dinheiro como propaganda.

É um completo absurdo, o deputado Lobbe Neto, como representante na Câmara Federal com o maior número de votos na cidade, tendo votado a favor da urgência e da transformação da legislação trabalhista em código de defesa da atividade empresarial, pode e deve nos explicar, porque eu só consigo entender como toma lá da cá, ou qualquer outro forma de explicar esse tipo de relação que tem atrapalhado a vida do povo brasileiro há séculos.

* Erick Silva, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos e Região, Dirigente da FEM-CUT/SP e Mestrando em Politicas Públicas

 

JORNAL PRIMEIRA PÁGINA


 


Jornal Metalúrgicos

Inscreva-se

Próximos Eventos

Curta o Sindicato no Facebook

Denuncie ao Sindicato!